Sea of Thieves – Análise / Review

Eu sou um pirata, Yo-ho!

Desenvolvido em 4 anos, Sea of Thieves é a nova aposta da RARE nos consoles da família Xbox e PC. A proposta do game é colocar você e seus amigos em um navio num mar de ladrões em busca de tesouros piratas e altas aventuras. A ideia é boa, mas será que a RARE conseguiu atender, ou até mesmo superar as expectativas dos jogadores? Confira essa e outras respostas na nossa análise! Analise Sea of Thieves

Uma vida de pirata para mim!

A ideia de se juntar aos amigos e velejar pelo alto mar como um pirata é realmente algo fascinante e empolgante. Sea of Thieves nos apresenta diversas mecânicas interessantes que funcionam muito bem quando jogamos em equipe.

Logo de cara você é apresentado a dois tipos de navio, um que comporta uma maior tripulação, de quatro pessoas e outro para jogar sozinho ou “de dois” – como falamos no Brasil.

Relembre: Nossas Lives de Sea of Thieves

É possível notar que a maneira como a água do mar interage com o navio e vice-versa é sensacional. A água batendo no casco do barco, o convés se molhando por conta do ”splash” que o navio faz quando bate na água após passar por uma onda são simples detalhes que tornam a experiência muito mais imersiva e cativante.

sea-of-thieves

Velejando pelos sete mares

Este é um daqueles games que te jogam no mundo e não te dão explicação nenhuma de onde ir ou do que fazer, mas isso não é um ponto negativo, muito pelo contrário. O fato de não saber o que fazer ou onde ir é um ponto divisor d’águas.

Com nenhum tutorial ou instrução para onde ir, você está livre para fazer o que quiser e isso faz com que o jogo se torne mais interessante pelo fato de ter que descobrir tudo na cara e na coragem, mas nem tudo são flores.

Após conseguir pegar seu primeiro mapa e finalmente conseguir iniciar sua primeira jornada na mesa do capitão do navio, você terá mais um desafio pela frente: chegar até a ilha destacada no mapa que se encontra no seu inventário. Todos os navios possuem uma mesa com um mapa que você pode utilizar para localizar a ilha de sua jornada.

Aqui vai uma dica: ao iniciar uma jornadas, você receberá mapas de ilhas que estão localizadas bem próximas de seu navio. Então antes de sair circulando o mapa; olhe as ilhas em volta que certamente você irá encontrar a que você precisa ir.

Chegando na ilha é só pegar o mapa e localizar o ponto para começar a escavar e tirar seu tesouro enterrado nas areias. A sensação de encontrar um baú enterrado é muito boa, chega ser algo prazeroso, mas nossa jornada está longe de terminar.

Após encontrar o seu baú de tesouro, você deve ir em qualquer Outpost para poder vende-lo para o NPC responsável pelas missões! Quando vender um baú, ou qualquer outro item, você irá receber uma certa quantia de ouro que pode ser utilizada para comprar nada mais nada menos que ITENS COSMÉTICOS.

sea-of-thieves

O quão interessante pode ser a vida de um pirata?

O sistema de controle das velas do navio e o próprio sistema de direção é algo muito bem feito e como já citamos, a interação do navio com a água é algo esplendoroso, mas e aí?

Todo ouro que você irá ganhar em sua trajetória como pirata servirá apenas para comprar itens cosméticos que são velas, cascos, carrancas, pinturas, roupas, skins para armas e é isso. Não é possível melhorar seus canhões, armas ou navio; e isso ainda é broxante.

Sea of Thieves é um game feito para se jogar em equipe, seja com amigos ou se aventurando com misteriosos piratas do Xbox Live. Jogar com uma tripulação desconhecida é interessante, mas muito menos divertido do que jogar com amigos. Na maioria das vezes você irá cair em um navio repleto de gringos.

O sistema de progressão do game é bem fraco, assim como as recompensas pela progressão. Isso me desanimou muito ao jogar. Joguei em equipe na maioria das vezes e isso tornou a minha experiência mais divertida, mas também pude experimentar a gameplay solo que sinceramente é muito sem graça.

sea-of-thieves-5Por mais nova que seja a comunidade do game, já é possível notar que existem muitos jogadores tóxicos pelos mares de Sea. Jogando sozinho tive o desprazer de conhecer diversos barcos inimigos que destroem seu barco apenas por destruir.

Destruir navios não vai te dar uma recompensa em ouro, não vai fazer seu personagem subir de nível, vai apenas inflar seu ego e é isso que diversos jogadores estão fazendo.

É um jogo de piratas, o que que tem afundar navios inimigos? Quando você afunda um navio inimigo em alto mar por conta de uma batalha é uma coisa. Quando você afunda um navio parado que acabou de nascer no outpost é outra completamente diferente.

Imagina você com seu navio e do nada aparece alguns caras e te afundam não uma, duas, mas sim 3 vezes seguidas, você ficaria irritado? Certamente.

Isso não é um problema do jogo, é um problema da comunidade do jogo, mas ainda é muito cedo para generalizar isso. A RARE tem que trabalhar em sistemas anti-trols para o game. É comum um estranho entrar para sua tripulação e levar o navio embora enquanto você está na ilha com seus amigos pegando um baú.

Falta sal nesse mar

A grande polêmica de Sea of Thieves gira em torno de: cadê o conteúdo?

Ir atrás de baús em ilhas, enfrentar inimigos para conseguir prêmios especiais ou se aventurar em longas batalhas dentro de fortes de esqueletos onde a sobrevivência é vital são as coisas que você terá que fazer para subir de nível e ganhar ouro, mas novamente esbarramos no ponto que divide águas neste game; fazer isso tudo para comprar itens cosméticos?

Após jogar e passar por tudo que falamos acima, nos damos conta que tudo começa a ficar muito repetitivo e chato. Para um game que aposta apenas no multiplayer, implantar esse tipo de sistema para horas e mais horas de jogatina é um sério problema, que junto a falta de variedade de missões, pode sim colocar o game no baú do esquecimento em pouco tempo.

Navegando contra o vento

A equipe de desenvolvimento do game certamente notou esse problema de conteúdo muito antes do game ser lançado, mas aparentemente a RARE preferiu ignorar todas as reclamações e lançou o jogo do jeito que estava.

O resultado foi a reclamação da grande maioria da comunidade com a falta de conteúdo. Eu acredito que temos aqui um game com um potencial enorme, que tem tudo para ser um ‘BOOOOM’, porém seus desenvolvedores pecaram na execução, mas calma que nem tudo está perdido.

A RARE deve correr contra o tempo para colocar mais conteúdos, variedade de missões, personalizações e itens para se comprar com o ouro no jogo para que Sea of Thieves não morra após poucos meses de vida.

Eventos aleatórios como o Kraken podem se tornar semanais com recompensas generosas para os players. Seria algo semelhante ao que a Ubisoft fez com AC Origins, colocando em certos períodos de tempo, no mapa do jogo, chefes que dão recompensas grandiosas, mas apenas isso não iria resolver o problema.

Como já citamos: será preciso investir pesado no desenvolvimento de novos itens que não sejam cosméticos. Sea of Thieves precisa ser menos arcade e mais RPG.

Uma roupa que te dá mais proteção, um casco de navio que aguenta mais pancadas, uma vela que deixa seu barco mais veloz são algumas idéias que tenho para o jogo. Estamos falando de recompensas não é?

Por que não recompensar os jogadores com estes itens. Quando falo em recompensar não quero dizer ‘dar’. Quero dizer disponibilizar para compra itens como esses que realmente influenciam na nossa gameplay e deixam o jogo ainda mais interessante e cativante para novos players.

Quem não vai querer um navio mais forte, uma vela mais veloz e uma proteção de corpo maior? São coisas como essas, unidas a melhorias nas missões do jogo que tornaria Sea of Thieves o jogo de piratas dos sonhos.

Vale lembrar que este game está disponível para assinantes do Xbox Game Pass que custa R$29.90 por mês e isso o torna muito mais acessível e chamativo para comunidade gamer do Xbox. O jogo também pode ser comprado separadamente pelo valor de R$ 199.95

Analise Sea of Thieves

REVER GERAL
Jogabilidade
8
Gráficos
9
Efeitos Sonoros
9
Multiplayer
9
Diversão
6
Compartilhar
Artigo anteriorSwitch recebe The Lost Child em Julho
Próximo artigo“Temporada 2” de Ghost Recon Wildlands é confirmada pela Ubisoft
Natural de Juiz De Fora, MG. Apaixonado por games e tecnologia tenho em mente que ''Se o Pica-Pau tivesse comunicado a policia, isso nunca teria acontecido.''