Análise: Vampyr

Ousadia, elegância e simplicidade associados a uma deliciosa e brutal jogabilidade

Criado e Desenvolvido pela Dontnod Entertainment (e publicado pela Focus Interactive), Vampyr é um game de Ação e RPG. Originalmente o jogo seria lançado em 2017, porém devido a algumas melhorias teve sua estréia nos consoles apenas em 2018. Vampyr – Análise / Review

Analisar este game foi uma profunda e prazerosa experiência regada a uma oportunidade única de retomar a um dos assuntos que eu mais fui apaixonado na minha infância: Os Vampiros. Confira como eu derramei lágrimas (másculas) de sangue.

Não posso começar esse texto sem contar porque sou fascinado pelos Vampiros e como apareceram em minha vida. Não caros Nosferatus, não foi por causa de filmes como “Entrevista com o Vampiro“, ou “Blade“, nem relacionado a alguma modinha.

Em meados dos anos 90, enquanto estava no colegial, alguns amigos me apresentaram o RPG de mesa “Vampire: The Mascarade” e dai pra frente foi uma paixão instantânea não só pela história mas também pelo submundo das tretas ambientado nas histórias.Na Máscara, interpretávamos a história, atuávamos como atores, encarnando o papel do seu Vampiro favorito, sendo ele um Maluco (Malkavian), um Bruxo (Brujah), um Feiticeiro (Tremere) além de outras dezenas de clãs. Aliado a isso, cada um possuía suas habilidades e dificuldades (como cada ser humano). A graça desse RPG de mesa, era passar por uma história recheada de desafios, evoluindo seu personagem e se tornando cada vez mais e mais PIKA. Mas vamos deixar a Mascara de lado (afinal essa é uma crítica sobre o Vampyr –  The Game), mas esse foi este jogo que me fez criar uma empatia enorme com o gênero para videogames.

Faz um bom tempo que estou aguardando um jogo de Vampiros, que me faça dizer “UAU”. Mesmo depois das adaptações de Blade (no Playstation e Xbox) e os próprios Vampire: The Masquerade Redemption & Bloodlines (lançados a no mínimo 10 anos atrás), sempre ficou um gostinho de “falta algo”. Mas a Dontnod chegou com tudo, botou mais de 60 pessoas para trabalhar, e cá estamos: VAMPYR – QUE FODA!

Vampyr - Análise / ReviewEm Vampyr, o enredo segue centrado no médico vampiro Jonathan Reid, que se encontra com o fato de estar dividido entre o seu Juramento de Hipócrates e a sua sede de sangue. Toda história acontece em Londres, durante a pandemia da gripe Espanhola no ano de 1918.

Uma das primeiras características positivas do game é que a ambientação foi criada de acordo com uma pesquisa feita pela equipe de desenvolvimento, que viajou até a cidade para criar os visuais idênticos além de outros feitos sob imaginação dos designers.

Se você chegou até este ponto da análise deve estar se perguntando o porque de eu ter iniciado meu ‘monólogo’ falando sobre Vampire: The Mascarade. Mas o que raios isso te ma ver com Vampyr?

Quando comecei a falar sobre, deixei claro que Vampiro sempre foi um tema muito peculiar em minha vida. Não sou o mais entendido do assunto (claro!) mas o contato através do RPG de mesa me fez desejar ver tudo isso num formato de videogame. Algo que eu pudesse controlar cada aspecto do que aprendi no tabuleiro, mas segurando um controle.

E é ai que Vampyr se encaixa, o jogo trouxe todos os aspectos individuais, num único ambiente e personagem. Podemos escolher se o Vampiro seguirá caminho A ou B, qual classe de atributos evoluir primeiro, e claro, usufruir das habilidades especiais que ali se encontram. É o jogo que na minha (humilde) opinião chegou mais próximo a fidelidade vampírica que eu estava aguardando.

Vampyr - Análise / ReviewSe é pra falar da fidelidade, vamos falar um pouco sobre a campanha em si. É você contra todos, não tem cooperativo tão pouco multiplayer. A história é rica em detalhes, cheia de cinemática, e para quem gosta de ver vídeos durante o quebra pau, esse é uma das melhores produções que já existiram. As vezes um pouco cansativo, mas passa…

Para você atingir o sucesso no jogo, tem alguns caminhos a focar: Reunir informações sobre seus alvos, estudar e mudar seus hábitos, coletar pistas e manter certos relacionamentos ao comunicar-se com os habitantes de Londres, o que serve como um mundo ficcional semi-aberto construído em torno de centros de bairros que se ligam a outras áreas. Igual no conto de vampiros, Reid só pode entrar em uma casa com um convite. E não se esqueça qualquer pessoa no jogo é um alvo, que traz consequências que afetam a história.

Por exemplo: Quando você se alimenta de sangue humano você desbloqueia novos poderes além de se alimentar. O jogo é tão rico em detalhes que cada morador tem um tipo diferente de história, relacionamentos e rotinas. Quando morrem eles transmitem para Reid seu último pensamento.

Vampyr - Análise / ReviewUma das habilidades mais legais de Reid é a “Hipnose” que te da uma bela vantagem para controlar os alvos fracos, coagir-los para receber informações importantes e até os levar pra ara áreas menos visíveis para que Reid se alimente sem ter que recorrer ao combate.

Se você se pergunta sobre o sistema de combate, Reid pode também utiliza armas de corpo a corpo, pode ser tanto uma serra como estacas, além de armas de longo alcance. Uma dica as melhorias de armas existentes podem ser adquiridas através de fabricação ou saqueando locais ou os corpos das vítimas.

Vampyr - Análise / Review

As lutas são recheadas de ação. Você enfrenta outros Vampiros conhecidos como “caveiras”, além de ter que aguentar ‘matadores de vampiros’ que podem facilmente detectar seu personagem. Tome cuidado ao utilizar seus poderes durante combate, sua vida e energia será sugada por completo te forçando a se alimentar.

Ahh e como não falar da sua habilidade principal “Primavera” que te da total suporte para alcançar locais que de outra forma estariam fora do alcance e avançar mais rapidamente no jogo. Quando melhorada pode causar danos no impacto e invencibilidade temporária.

Assista uma de nossas Lives:

Assista ao Vivo o Game Vampyr!

Continuando a sequência de Vampyr, o novo da Dontnod Studios. Assista no mixer.com/th3deejay

Posted by Universo Xperience on Wednesday, June 13, 2018

Felizmente não vamos (e não queremos) dar nenhum SPOILER do jogo, nenhum detalhe da rica história ou qualquer parte de sua evolução, para isso você terá que adquirir o jogo que está disponível na Microsoft Store por R$ 183,00, Playstation®Store por R$219,00 e Steam por US$ 49.99.

  • O jogo foi analisado em um Xbox One X, com uma cópia gentilmente cedida pela Focus Home Interactive.

Vampyr – Análise / Review

REVER GERAL
História
9
Gráficos
8
Jogabilidade
8
Diversão
9
Som
9
Compartilhar
Artigo anteriorState of Decay 2 ganha atualização 2.0 e Independence Pack
Próximo artigoMicrosoft mostrou o protótipo original do Xbox
Natural de São Paulo - BR, atualmente morando na Florida - USA, tem mais de 20 anos de experiência com Planejamento, Criação e Marketing, ama música, toca bateria e seu principal hobby são os Games.